A Cidade

Praia Grande é um dos destinos mais procurados no litoral paulista. A Cidade está em constante desenvolvimento. Suas belezas naturais, opções de lazer e infraestrutura adequada multiplicam a cada ano o número de turistas e pessoas interessadas em fixar residência. Os 22,5 quilômetros de belas praias, orla urbanizada com coqueiros, quiosques e ciclovias, exemplificam com exatidão o cardápio de qualidade com ótimas opções que o Município disponibiliza para diversão. Tudo isso sem esquecer da população praia-grandense, sempre hospitaleira e receptiva.

 Na alta temporada, a população flutuante de Praia Grande aumenta até quatro vezes, ultrapassando em determinados momentos, como Natal, Ano Novo e Carnaval, a marca de mais de 1 milhão de pessoas. Atualmente, de acordo com dados oficiais, 272 mil pessoas residem no Município. Um levantamento realizado pela Administração Municipal indica que esse número já ultrapassou a casa dos 300 mil habitantes.

 A Cidade possui uma lista imensa de alternativas para divertir munícipes e turistas. Destaque para Fortaleza de Itaipu, Área de Lazer Ézio Dall’Acqua (conhecida como Portinho), a praças da Paz, do Barco e das Bandeiras, Palácio das Artes, Feiras de Artesanatos, estátuas de Iemanjá e Netuno, Capela Nossa Senhora da Guia, entre outras.

 O Município vem atravessando um processo de desenvolvimento em todas as áreas ao longo dos últimos anos. Por conta desse momento positivo, Praia Grande se transformou em sinônimo de qualidade de vida, tranquilidade e infraestrutura completa, se tornando a escolha de moradia para muitas famílias que querem fugir de toda a agitação da capital e de outras cidades.

 Dados divulgados recentemente pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) sobre a estimativa populacional dos 5.565 municípios brasileiros comprovaram o que a Administração Municipal já observava e vinha se preparando para seus reflexos. Praia Grande lidera na Baixada Santista o quadro de estimativa populacional. A Cidade tem trabalhado para resolver as demandas apresentadas buscando oferecer melhor estrutura e equipamentos para população.

 Não é de hoje que o praia-grandense se orgulha em dizer que mora em uma Cidade linda, cada vez mais moderna e reconhecida pelo pioneirismo no desenvolvimento de projetos que são referência no Brasil e na América do Sul, como a Infovia por fibra ótica e a Central de Monitoramento por câmeras. O melhor de tudo isso é que, com trabalho sério e intenso, existe um quadro extremamente favorável para que Praia Grande continue a trilhar o caminho do desenvolvimento!


CONHEÇA ALGUNS DOS PONTOS MAIS VISITADOS DE NOSSA CIDADE!

A ORLA DA PRAIA 

Na década de 90 a Praia Grande entrou para o seleto grupo de cidades que têm a orla marítima urbanizada e saneada.

Já existe a Boutique do Peixe, A Feirinha, A Praça do Skate, os quiosques que se tornaram verdadeiros restaurantes, a ciclovia e muito mais.

Tudo isso torna Praia Grande, com seus 22 km de praias, a maior orla marítima urbanizada do Brasil.


FORTE ITAIPU 

A História do Forte Itaipu confunde-se com a História de Praia Grande e a própria História do Brasil.

Sua construção teve início em 1902. Na época era um local inacessível e totalmente selvagem. Sua construção exigiu a implantação de uma infra-estrutura muito complexa, envolvendo porto, estradas e saneamento, que acabaram dando origem à cidade de Praia Grande.

Várias personalidades tiveram destaque na vida do Forte Itaipu e se integraram definitivamente à cidade. Entre eles o Ministro Mallet, o Capitão-Mor Aguiar e o Capitão Tude Bastos, que cederam seus nomes a importantes locais de Praia Grande.

Ao longo dos mais de cem anos de existência, o Forte tornou-se mais do que uma simples construção. Foi palco de importantes fatos da História Brasileira. Por ali passaram centenas de milhares de brasileiros que deixaram suas marcas de sangue, suor, lágrimas e alegrias. Tudo isso resultou num sítio com vida própria. Quando você entra no Forte, você respira a História do Brasil. Sente a presença dos heróis que construíram Itaipu.

Várias lendas e curiosidades despertam a curiosidade dos visitantes. Além dos fantasmas que os residentes juram existir na área do Forte, algumas curiosidades foram devidamente registradas:

Edson Arantes do Nascimento, Pelé, o maior jogador de futebol de todos os tempos, em 20 de janeiro de 1959 foi incorporado ao serviço ativo do Exército no Forte Itaipu. Iniciou-se assim o período de caserna do soldado 201- Nascimento, que representou sua unidade em diversas competições esportivas.
O caso do Disco Voador. Um dos mais impressionantes relatos sobre blecaute provocado por OVNIs no Brasil foi o famoso caso do Forte Itaipu, na madrugada de 04.11.57. Nessa ocasião, todos os sistemas elétricos do forte deixaram de funcionar. Ao mesmo tempo, duas sentinelas que estavam de guarda sofreram graves queimaduras quando um OVNI esférico de cor vermelha desceu a pequena altura sobre os dois.
 O caso foi pesquisado por militares americanos e acabou abafado, apesar de várias testemunhas que viram tudo. Somente muitos anos depois, através da chamada Lei de Liberdade de Informação americana, a Embaixada dos Estados Unidos mostrou resumidamente, o que ocorreu na ocasião.
 Hoje, os canhões de Itaipu estão desativados. Deram lugar a modernos mísseis, muito mais eficientes e capazes de atingir longas distâncias com precisão incrível.
 Ao mesmo tempo, o Forte adquiriu nova função, nem imaginada quando de sua construção.

Em razão da necessidade de manter o Forte protegido de tudo e de todos, a extensa área ao seu redor tornou-se uma reserva ecológica de valor inestimável. Trata-se de exemplar raro e extenso da Mata Atlântica original, praticamente dentro da cidade de Praia Grande. Pode-se dizer que é caso único no Estado de São Paulo, o que vem reforçando cada vez mais a sua vocação turística.




LITORAL PLAZA SHOPPING

Desde que foi inaugurado, em dezembro de 1998, o Litoral Plaza Shopping tem consolidado e conseguido manter uma grande força de atração, exercida por vantagens que nenhum outro empreendimento do gênero na Baixada Santista é capaz de oferecer. São cerca de 220 lojas funcionando dentro de um "mix" planejado para oferecer aos clientes as mais diversificadas opções de compra, obedecendo a critérios de qualidade e bom gosto.

 Sem falar na gama de atrações voltadas ao lazer e entretenimento. Visitar o Litoral Plaza Shopping tornou-se um ótimo programa para toda a família.

 Além de ser o único shopping da Baixada Santista com três mil e cem vagas, metade das quais em área coberta, também é o único a ser construído em estilo horizontal, facilitando e tornando mais confortável a circulação dos clientes.

Acesse o site http://www.litoralplazashopping.com.br e veja mais!




PALÁCIO DAS ARTES

O complexo cultural de 6.000mº é um dos mais importantes na região. Visto de fora, expõe fachada com ares neoclássicos, com apliques e pintura jateada. Por dentro, apresenta o estilo contemporâneo, com espaços amplos e mobília moderna.

No andar térreo se encontra oSalão de Eventos, com capacidade 1.000 pessoas e 943 m². O acesso é central, com recepção e hall expositivo, além de loja e cafeteria. Na recepção, destaca-se um lustre gigante, com 12.000 pedras de cristal e 120 lâmpadas em 3,20m de altura e 2,60m de largura. Com formas que remetem à figura do arlequim, personagem da antiga comédia italiana, o lustre faz referência ao clássico filme O Fantasma da Ópera.

No andar superior, encontra-se exposições renovadas frequentemente. O Foyer Graziela Diaz Sterque é passagem obrigatória para quem vai à Sala de Espetáculos Serafim Gonzalez, e além de uma belíssima vista da Mata Atlântica, há exposição permanente de cerâmica marajoara, pertencente ao acervo da professora.

A Galeria Nilton Zanotti segue padrões expositivos internacionais, e traz tanto exposições de destaque na mídia quanto de artistas da região. O terraço, além de um bom lugar de descanso, reservado à conversas entre amigos, expõe exposição permanente de esculturas.

O Palácio das Artes esta localizada na Avenida Costa e Silva, nº 1.600 – Boqueirão




PRAÇA DA PAZ 

Inaugurada em 2006, a Praça da Paz possui sete esculturas de aço carbono e ferro que representam personalidades históricas que defenderam a paz no mundo: Sérgio Vieira de Mello, Jesus Cristo, Maria Mãe de Jesus, Papa João Paulo II,I, Madre Tereza de Calcutá, Mahatma Gandhi e Nelson Mandela, e possuem aproximadamente de 10 metros de altura e até 30 toneladas cada uma.

As esculturas são ocas, portanto os visitantes podem entrar no interior onde pode-se observar a descrição do personagem. Ao lado de cada obra, há placas com informações sobre cada personalidade, contando também com inscrições em braile. As esculturas têm ao redor espelhos d´água com jatos dirigidos e iluminação especial à noite.



AVENIDA DOS SINDICATOS (COLÔNIAS)

Mais conhecida como Avenida das Colônias, é o maior complexo de colônias de férias de trabalhadores da América Latina, abrigando em sua extensão cerca de trinta colônias de férias de diversos sindicatos de trabalhadores. Um trecho da avenida possui diversos quiosques de alimentação e artesanato.



HISTÓRIA

Todo lugar tem sua história, a cidade, suas ruas, bairros, caminhos, as pessoas, muitas chegaram, outras foram embora, mas todas deixaram e fizeram aqui um pouquinho de sua história. Essa história de todos é a memória de nossa cidade e que você também está construindo. Se você mora no Forte, na Ocian, no Quietude, em Solemar ou em qualquer outro bairro de Praia Grande, esta cidade é sua, e para viver sua cidade é preciso conhecer sua história, participar, preservar, respeitar os espaços e as pessoas deste lugar, construir, refletir e transformar. Ser cidadão é exercitar essa cidadania.


AS TERRAS DO REI

 Com a chegada dos portugueses no Brasil, a relação das pessoas com a terra mudou. Todo o território foi declarado como pertencendo ao rei de Portugal. Era como se os índios não tivessem direito sobre nada.
 Sentindo-se dono do Brasil, o rei de Portugal pegou um mapa e dividiu suas terras em 14 partes. Cada parte ficou sendo uma Capitania Hereditária. A partir de 1534, nobres portugueses passaram a receber capitanias para administrar e delas tirar riquezas.
 O Brasil foi dividido entre os portugueses e as terras dos índios foram pouco a pouco sendo conquistadas.

CAPITANIAS HEREDITÁRIAS

 O Brasil foi dividido em 14 Capitanias Hereditárias, totalizando 15 lotes doados a figuras importantes da corte portuguesa, chamados de donatários. As capitanias eram hereditárias porque a terra passava de pai para filho. Os donatários tinham direitos e deveres como o de conceder sesmarias, que eram grandes extensões de terras aos colonos.

CAPITANIA DE SÃO VICENTE

 As terras que pertencem a Praia Grande hoje em dia pertenciam antigamente à capitania de São Vicente que, tempos depois, virou capitania de São Paulo e, séculos mais tarde, estado de São Paulo.
 O rei de Portugal entregou a capitania de São Vicente a um nobre chamado Martim Afonso de Souza, que esteve aqui, explorando a terra e fundando vilas, entre os anos de 1532 e 1533. Depois disso, nunca mais voltou. Ficou envolvido com expedições que iam para as Índias buscar riquezas para vender na Europa. Quem administrava a capitania era sua mulher, Ana Pimentel, que enviava para cá outros administradores.
 Toda a capitania era administrada por pessoas que viviam na vila de São Vicente, fundada em 1532. Nesta vila se instalaram os primeiros portugueses que vieram colonizar a região e que investiram aqui nos primeiros engenhos de produzir açúcar. Praia Grande, hoje município do estado de São Paulo, pertenceu à cidade de São Vicente até 1967, quando ocorreu sua emancipação política. Desde então tornou-se um município independente, com administração própria, podendo eleger seu prefeito e seus vereadores. Antes disso acontecer, não havia autonomia para solucionar os problemas. Tudo dependia das decisões da Prefeitura de São Vicente, que nem sempre atendiam às necessidades da população que aqui morava.



EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DE PRAIA GRANDE

 A emancipação política não aconteceu de repente, nem foi vontade de uma pessoa só. As pessoas que aqui moravam não estavam contentes com os problemas que enfrentavam, como a falta de saneamento, escolas, transporte, hospitais, abastecimento de água, luz, vias de acesso. Por isso, os moradores do bairro de Solemar viram a possibilidade de se desmembrar de São Vicente e de Praia Grande ganhar autonomia. Em 1953, Júlio Secco de Carvalho, liderou o movimento juntamente com Nestor Ferreira da Rocha, Heitor Sanchez Toschi, Israel Grimaldi Milani e Dorivaldo Loria Junior, entre outros.
 Houve muita resistência por parte de São Vicente, pois significava a perda de 24 quilômetros de praias. Foi realizado em 1963 um plebiscito, que é a maneira pela qual a população faz sua escolha através do voto. Mas isso não garantiu ainda a emancipação da cidade.
 Só em 19 de janeiro de 1967 a emancipação aconteceu. O engenheiro Nicolau Paal foi nomeado interventor federal no município, com instalação provisória da prefeitura no Ocian Praia Clube. A primeira eleição municipal na Praia Grande foi realizada em 15 de novembro de 1968. Tendo como prefeito Dorivaldo Loria Junior.






Tire suas dúvidas